image Siga-nos:


Orientações para a Pastoral Vocacional

Preparação e Organização

1. Todas as comunidades paroquiais formem equipes vocacionais que se empenhem na promoção da consciência e do clima vocacionais, favoráveis ao despertar, ao discernimento, ao acompanhamento e ao cultivo das vocações de especial consagração: Sacerdócio, religiosas e missionárias específicas e de fiéis leigos: casados, solteiros, consagrados.

2. As equipes vocacionais sejam integradas por representantes das várias pastorais, movimentos e equipes de trabalho, além de, pelo menos, um casal representante das comunidades (Capelas), para que possa emergir a dimensão vocacional de toda a pastoral.

4. A equipe Diocesana de Pastoral Vocacional será constituída por leigos, representantes de pastorais, das Congregações Religiosas e pelos coordenadores das equipes.

5. Todo e qualquer trabalho vocacional, independentemente de quem o lidere, seja realizado sempre em comunhão.

6. Programem-se encontros próprios para os candidatos e as candidatas à vocação de especial consagração, antes de ingressarem em casas de formação.

7. Cada Congregação Religiosa deve empenhar-se em acompanhar, pessoalmente, aqueles e aquelas que por ela optarem.

10. Haja intercâmbio entre Pastoral Vocacional Diocesana /Paroquial e os Seminários e Casas de Formação das Congregações e Institutos.

11. A pastoral vocacional tenha sua ação voltada para uma Igreja toda ministerial e aberta a todas as Congregações e Seminários.

13. Os vocacionados devem, por meios diversos, ter a possibilidade de conhecer Congregações com seus carismas, presentes na diocese, para poderem, conscientemente, fazer a sua escolha.

14. Cada paróquia contribua financeiramente para manter os seminaristas de todas as paróquias.

15. Os párocos e agentes de pastoral estejam atentos aos sinais de vocação específica, e sejam solícitos em oferecer as melhores condições para um discernimento adequado.

Conteúdo

1. As atividades da Pastoral Vocacional ajudem no despertar da cada cristão para a vocação a qual é chamado como batizado, convidando principalmente os adolescentes e jovens a participar de encontros vocacionais.

2. O trabalho vocacional contemple reflexões em torno da vocação comum de todos os batizados, além da vocação ministerial própria a que alguns são chamados.

3. O despertar, o discernimento, o acompanhamento e o cultivo das vocações é tarefa de todas as pastorais e serviços, que deverão incluir este tema em seus textos e subsídios.

4. Valorizar os dias das diversas vocações: mães (segundo domingo de maio); padres (primeiro domingo de agosto); pais (segundo domingo de agosto); religiosos(as) (terceiro domingo de agosto); catequistas (quarto domingo de agosto); leigos(as) (último domingo do tempo comum, dia de Cristo Rei).

Celebração

1. O mês vocacional seja preparado com zelo crescente e vivido com intensidade em todas as comunidades.

2. As ordenações, profissões religiosas, casamentos, celebrações de envio e de mandato dos diversos ministérios sejam bem preparados e realizados com dignidade.

3. Estabeleça-se, em cada mês, um dia de oração e reflexão sobre vocação e seja celebrado, cada ano, o Dia mundial das orações pelas vocações.

4. Sejam lembrados os aniversários de ordenação, profissão religiosa e casamento, como forma de incentivo e promoção vocacional.

Vivência e Apostolado

1. A Equipe Vocacional Paroquial, no seu todo, ajude cada membro da comunidade a assumir e preservar a vivência de sua vocação.

2. Por seu testemunho de vida, os vocacionados são os primeiros promotores vocacionais.

Travel Turne Tranzito